[Nepal 2] Nagarkot-Phokara-Annapurna Trekking

Trekking de 3 dias no Annapurna: o amanhecer em Poon Hill

Trekking de 3 dias no Annapurna: o amanhecer em Poon Hill

É preciso explicar como chegamos em Nagarkot, passando por Boudhnath no caminho. Não é nada simples pegar transporte público no Nepal. Na estrada, que já é terrivelmente mal pavimentada, vimos ônibus com pessoas quase saindo pela janela. Antes da viagem, cheguei a cotar várias agências nepalesas para fechar um pacote completo no país, que incluísse o trekking, os voos e os deslocamentos terrestres. Mas ODEIO pacotes completos, gosto mesmo é de escolher cada detalhe.

No fim das contas, comprei os voos internos e o transfer para Nagarkot com a Thamel Tours. Fui sempre atendida pelo Balaram, educado e atencioso com meus mil emails cheios de dúvidas e questionamentos. O preço dele também foi o melhor entre todos os pesquisados (foram muitos, acredite!). Quando ele apareceu pela primeira vez no hotel de Kathmandu, parecia um menino com gestos muito formais.

Dica prática: É possível fechar um pacote completo no país com alguma agência de Kathmandu. Para um roteiro de 10 dias com Kathmandu, Pokhara (trekking incluído) e Chitwan, o preço médio era de US$ 800 com hoteis, guias, voos e deslocamentos. Eu não fechei esse pacote, porque consegui fazer quase pela metade por conta própria (ficando em hoteis melhores). A Thamel Tours ofereceu os melhores preços. Acabei fechando alguns transfers, dois voos e o trekking do Annapurna. Recomendo: info@thameltravel.com.

Em Nagarkot, ficamos num chalé no The Fort Resort. O único sentido de ir a Nagarkot é tentar ver o Everest. Madrugamos para subir até a torre do hotel para assistir ao nascer do sol… Mas não temos muita certeza se vimos ou se não vimos o dito cujo. Por conta da poluição, às vezes, ele pode não aparecer. O nascer do sol é bem bonito lá de cima, vimos muitos picos de montanha branca. Mas, se tiver pouco tempo, é uma atração que pode ser deixada de fora.

Hotel Fort Resort: o hotel era carinho e nossa expectativa girava 100% em torno do Everest. US$ 85/diária casal.

De Nagarkot para o aeroporto, nosso motorista descolado pelo Balaram deveria ter parado em Bhaktapur. Mas ele esqueceu e quando tentamos explicar (ele não falava inglês), era tarde demais. Pegamos o voo da Buddha Air de Kathmandu para Pokhara. O aeroporto doméstico tinha macaquinhos na entrada e pombos dando rasantes no salão. Uma coisa. O avião é algo à parte: não tem nem ar-condicionado! Só com Buddha no coração…

Em Pokhara, ficamos perto do lago no hotel Trekkers Inn, que tem um atendimento super simpático e oferece depósito para nossas bagagens durante o trekking. Nosso guia Dipendra Paudel, outra figura nepalesa, apareceu à noite para nossa “reunião”. Gentil, calmo, simpático e com aquele inglês bem embolado. Chegamos em Nagarkot no final do segundo dia no Nepal.

Hotel Trekkers In: fica próximo ao lago, a restaurantes e a lojinhas de artigos de trekking (caso você precise comprar às pressas uma lanterna ou um casaco, por exemplo). O hotel é simples, sem elevador, mas honesto. US$ 72 diária/casal.

O que levar para o trekking no Annapurna:
– Casaco impermeável e aquecido
– Luvas
– Bota de trekking (recomendo sempre o cano intermediário para evitar torção de tornozelo no caso de deslizamento)
– Lanterna (há momentos em que você começa a andar de madrugada)
– Kit Farmácia
– Kit Banho (xampu e sabonete)
– Toalha de secagem rápida (as tea houses no caminho podem oferecer ou alugar, mas sempre aconselho levar sua própria toalha)
– Água e snacks
OBS: Para trekkings mais longos, é melhor verificar outras necessidades. Para um trekking de 4 dias, esses itens são suficientes.

Por falta de tempo, fizemos um trekking de apenas 3 dias no Annapurna, uma das regiões mais bonitas do Nepal. Nosso objetivo era alcançar Poon Hill para ver o sol nascer. Fomos de carro de Phokara até Nayapul, um pequeno vilarejo onde a trilha começa. Lá, você apresenta seu permit com foto num posto de controle (nosso agente de Kathmandu providenciou isso).

O caminho é cheio de gente, de vida e de beleza!

O caminho é cheio de gente, de vida e de beleza!

Esquema do trekking: cada um pagou US$ 185 pelo trekking de Poon Hill com 3 diárias em tea houses, todas as refeições, transfer de ida e volta de Phokara e o guia full time. Para o Nepal, esse valor é uma fortuna! É possível também ir de táxi até Nayapul, pagar apenas o permit no local (bem mais barato) e tentar a sorte nas tea houses pelo caminho. A trilha é bem marcada e tem muita gente subindo e descendo. Se você tiver interesse de contratar apenas o guia, recomendo o  nosso: Dipendra Paudel (ele tem Facebook!). Ele mora em Phokara e é um fofo.

Em resumo: o trekking é lindo! Camponeses, plantações, vilarejos, animais, cerejeiras e crianças pelo caminho. O amanhecer em Poon Hill também vale muito a pena. Foi um ponto altíssimo da viagem ao Nepal.

IMG_1248

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s